Ver mais

Crise bancária nos EUA aumenta interesse por tokens de exchanges

2 mins
Por Rahul N.
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • O fechamento de vários bancos levou a uma migração para os tokens de DEX e CEX.
  • OKB, GMX, dYdX e GT estão entre os tokens que tiveram aumentos de preços.
  • Alguns acreditam que as autoridades dos EUA estão indiretamente atrás do mercado de criptomoedas.
  • promo

Os investidores estão migrando para alternativas cripto após a crise envolvendo bancos como Silicon Valley Bank, Signature Bank e Silvergate se instalar nos Estados Unidos.

A turbulência financeira do fechamento de vários bancos impactou positivamente os tokens relacionados as exchanges centralizadas (CEX) e descentralizadas (DEX). Vários desses ativos subiram de preço nas últimas 24 horas, incluindo o OKB, GMX, dYdX e GT.

Crise bancária nos EUA aumenta interesse por tokens de exchanges
Fonte: CoinMarketCap

Embora não esteja claro se a crise bancária é a única razão para o aumento dos preços, o consenso geral é que alguns investidores estão migrando para esses tokens específicos. Nas últimas 24 horas, o OKB aumentou 13%, GMX 10%, dYdX 8% e GT 7,5%.

O mercado de criptomoedas como um todo viu um grande aumento no valor geral no último dia, depois de sofrer uma forte queda alguns dias antes. Outros tipos de tokens que estão em alta são os relacionados à tokenização. O SNX é um exemplo, com uma valorização de quase 8%.

O valor total do mercado de criptomoedas é agora de US$ 1,08 trilhão, o que representa um aumento de 5,59% no último dia. Enquanto isso, as ações de muitas empresas estão sofrendo pesadas perdas, muitas na casa dos dois dígitos. A maioria diz respeito a instituições bancárias.

Crise bancária gera dificuldades para o mercado global

Vários bancos caíram nas últimas semanas. Um dos mais notáveis é o Silicon Valley Bank, que alguns temem que possa iniciar um contágio. O HSBC adquiriu a divisão do banco no Reino Unido por uma única libra, ou cerca de US$ 1,21.

O Federal Reserve também decidiu fechar o Signature Bank, que se concentrava fortemente em criptomoedas. As autoridades citaram o risco sistêmico como uma das razões por trás da decisão. Por último, havia o Silvergate, que perdeu o arquivamento do relatório anual. Eventualmente, tornou-se insolvente, levando os investidores a se mudarem para as stablecoins.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Criptomoedas se tornam alvo

Alguns na indústria acreditam que os movimentos das autoridades dos EUA nos bancos são anti-cripto. Um membro do conselho do banco Signature levantou essa hipótese, comentando que era uma “forte mensagem anticripto”.

No entanto, o diretor de políticas da Blockchain Association, Jake Chervinsky, acredita que a indústria cripto não é responsável pelos problemas bancários.

De qualquer forma, o governo certamente tentará impor algum controle sobre o mercado. O Bitcoin e outros ativos estão se mantendo fortes à medida que os mercados globais passam por turbulências.

Crise bancária nos EUA aumenta interesse por tokens de exchanges
Fonte: TradingView

O preço do Bitcoin subiu quase 10% nas últimas 24 horas e estava avaliado em aproximadamente US$ 24.500 no fechamento desta matéria.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados