Ver mais

Coreia do Sul proíbe ofertas de ETFs de Bitcoin à vista – Veja motivos

2 mins
Por Harsh Notariya
Traduzido Aline Fernandes

Empresas de valores mobiliários sul-coreanas, como Samsung Securities e Mirae Asset Securities, não podem mais facilitar a negociação de fundos negociados em bolsa (ETFs) de Bitcoin à vista no exterior.

Em um dia histórico, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) aprovou os pedidos de ETFs à vista de Bitcoin na quarta-feira. No entanto, leis de outros países podem não permitir que gestores de fundos dêem exposição a estes ETFs aos seus clientes.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

ETFs de Bitcoin à vista fora do país podem violar as leis cripto da Coreia do Sul

O regulador sul-coreano – Comissão de Serviços Financeiros (FSC) -, emitiu um aviso sugerindo que as empresas de valores mobiliários nacionais não devem oferecer exposição a ETFs de Bitcoin à vista  fora do país.

“As firmas de valores mobiliários nacionais que intermediam ETFs de Bitcoin à vista listados no exterior podem violar a posição governamental existente sobre ativos virtuais e a Lei do Mercado de Capitais”, afirma o comunicado.

Devido ao aviso, empresas de valores mobiliários sul-coreanas, como Samsung Securities e Mirae Asset Securities, suspenderam a negociação de ETFs de Bitcoin à vista alemães e canadenses. As companhias também não poderão facilitar a negociação de ETFs de Bitcoin à vista dos EUA.

“Os ETFs de Bitcoin à vista não podem ser incluídos em carteiras de investimento, como ETFs ou fundos listados no mercado interno. A negociação de ETF de Bitcoin à vista será restrita de qualquer forma na Coreia”, disse um funcionário da indústria a um meio de comunicação local.”

Como a Coreia do Sul trabalha nas regulamentações de criptoativos

O FSC afirma que está trabalhando na regulamentação das criptomoedas. E algumas regras serão revistas posteriormente considerando as regulamentações de outros países, como os EUA. 

Inclusive, o chefe do FSC, Yoo Bok-hyun, visitará os Estados Unidos para discutir regulamentações de criptoativos com o presidente da SEC, Gary Gensler.

Os criptoativos são imensamente populares entre os cidadãos sul-coreanos. Aliás, a classe de ativos tem uma taxa de penetração de 18,85% no país. Até 2028, a entrada deverá subir para 23,45%.

Coreia do Sul proíbe ofertas de ETFs à vista de Bitcoin - Veja motivos
Taxa de penetração de usuários cripto na Coreia do Sul. Fonte: Statista

Até 6% dos membros da Assembleia Nacional sul-coreana possuem criptoativos. Em maio de 2023, o país aprovou um projeto de lei exigindo que os legisladores divulgassem seus acervos de criptomoedas.

Devido à popularidade dos criptoativos na Coreia do Sul, o país asiático precisa de supervisão regulatória. Consequentemente, o Serviço de Supervisão Financeira (FSS) sul coreano deverá implementar regulamentações rigorosas para ativos virtuais a partir de julho de 2024.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados