Como proteger crianças na Web3?

Atualizado por Júlia V. Kurtz

Privacidade na era da Web3 é um conceito estranho para quase todos nós. Aqui estão os próximos passos, de acordo com Colin Pape, fundador da Presearch.

O metaverso já tem seus primeiros habitantes: nossos filhos. Para eles, o reino digital tem tanto significado quanto o mundo físico (uma revelação que muitas pessoas experimentaram em 2020).

  • Ficou com alguma dúvida? O Be[in]Crypto possui uma série de artigos para lhe ajudar a entender o universo cripto. Confira!
  • Se quiser ficar atualizado no que acontece de mais importante no espaço cripto, junte-se ao nosso grupo no Telegram!

Durante o auge da pandemia, muitos de nós transferimos grande parte de nossas interações sociais para a internet. Crianças de 8 a 18 anos supostamente já passaram um tempo significativo – pelo menos seis horas – olhando para as telas. É seguro dizer que o tempo de tela aumentou para todos recentemente.

As crianças não estão apenas jogando ou assistindo conteúdo online – elas estão usando a internet para a escola e para se conectar com amigos e parentes. A internet e os recursos online são um componente valioso da vida social das crianças e uma ferramenta inestimável para o aprendizado.

Fico constantemente impressionado com a profundidade das interações que meu filho de 9 anos tem com seu grupo de amigos enquanto jogam Minecraft, por exemplo. Eles estão trabalhando em equipe, construindo coisas de forma colaborativa, resolvendo problemas de dinâmica de grupo e se revezando como líderes. É tão divertido ouvir as conversas e ver como as crianças podem trabalhar juntas naturalmente de forma independente, sem a orientação de adultos.

Seja mais inteligente

Portanto, embora os pais provavelmente não devam proibir totalmente o tempo de tela, podemos ser mais inteligentes sobre como permitimos que as crianças se envolvam com a web e se conectem com pessoas virtualmente neste mundo cada vez mais digital.

Tudo isso ganha ainda mais significado à medida que a internet muda para a era web3, que priorizará os serviços de propriedade do usuário sobre os gigantes de propriedade central, como Google e Facebook, que manipulam nossos dados e os usam contra nós para vender anúncios.

Aqui estão algumas dicas simples de um pai para outro para apoiar o aprendizado seguro e a curiosidade de seus filhos:

Privacidade: Confie, mas esteja presente

Mantemos nossos dispositivos conectados à internet em uma área comum, onde minha esposa e eu podemos estar presentes durante a atividade online de nosso filho. Estamos cientes do que nosso filho está vivenciando online e podemos servir como um recurso de apoio se ele tiver dúvidas.

Mesmo que seu filho esteja usando um aplicativo desenvolvido para crianças, conteúdo impróprio ainda pode aparecer. O conteúdo do YouTube, mesmo com um plano pago, pode ter anúncios impróprios escondidos no meio dos vídeos como conteúdo patrocinado, como quando um vídeo do Minecraft que meu filho estava assistindo foi patrocinado por uma empresa de “depilação”.

Isso gerou uma conversa um pouco estranha sobre cuidados masculinos com meu filho e uma conversa sobre como a publicidade funciona na internet e uma segmentação de anúncios particularmente ruim.

Se meu filho estivesse assistindo a este vídeo em seu quarto, onde sua mãe e eu não teríamos conhecimento desse canal direcionado a produtos adultos para o público mais jovem, não poderíamos ter tido as conversas que tivemos e ajudado nosso filho a fazer a escolha de evitar que o canal avance.

YouTubers usando linguagem imprópria – mesmo que não seja suja, mas apenas imprópria ou excessivamente negativa, é outra coisa que todos procuramos. Como nosso filho sabe que podemos ouvir a mesma conversa que ele, é uma camada de responsabilidade que o ajuda a fazer boas escolhas.

Noventa por cento do tempo agora, nem precisamos dizer nada – se ele ouve um YouTuber chamando alguém de “estúpido” ou sendo depreciativo, ele apenas muda o canal por conta própria para um em que a linguagem seja positiva.

Quando a tecnologia é experimentada abertamente e as discussões podem ser realizadas em tempo real, podemos ajudar nossos filhos a entender melhor o conteúdo ao qual estão expostos e como responder a ele.

Aprendam juntos o básico da internet

As crianças são muitas vezes mais inteligentes e compreensivas do que acreditamos. Se aprenderem o básico de como as coisas funcionam, serão capazes de lidar melhor com desafios e perturbações.

Muitas pessoas se contentam em usar a tecnologia sem saber nada sobre como o conteúdo e as informações com as quais interagimos chegam até nós em nossas telas. Mas os usuários experientes da Internet devem dedicar um tempo para desenvolver uma compreensão básica de como funciona a tecnologia que usamos todos os dias. Isso é para que possamos nos ajudar e solucionar os problemas que encontramos e passar esse entendimento para nossos filhos.

Em apenas uma ou duas horas, podemos assistir a vídeos que explicam o que acontece quando digitamos o endereço de um site, fazemos uma pesquisa ou enviamos um vídeo. Existem muitos recursos que explicam coisas como servidores, provedores de serviços de Internet, mecanismos de pesquisa, telas sensíveis ao toque, gráficos de computador e videogames.

Além de ser simplesmente interessante para algumas pessoas, é valioso para todos nós entendermos exatamente o que acontece quando tocamos em um botão em nosso smartphone ou por que precisamos atualizar um jogo em nossos consoles.

Isso nos ajuda a desenvolver uma apreciação de todo o trabalho que está acontecendo nos bastidores e a conectar os pontos e resolver problemas quando inevitavelmente encontramos problemas com a tecnologia.

Como proteger seus filhos na Web3

Privacidade: mantenha-se atualizado com o cenário tecnológico em constante mudança

Como pais, é nosso trabalho olhar para o horizonte e estar ciente dos perigos potenciais que aguardam nossos filhos. É por isso que, desde muito jovens, lembramos constantemente as crianças de olhar para os dois lados ao atravessar a rua.

Como qualquer ferramenta, a tecnologia pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal. As crianças devem entender os dois lados do espectro. Portanto, embora possam usar as mídias sociais para checar seus amigos e acompanhar seus influenciadores favoritos, eles devem estar cientes de que o que veem nesses sites geralmente não é um reflexo verdadeiro da realidade.

À medida que a tecnologia se torna ainda mais emaranhada em nossas vidas cotidianas, esse princípio deve se manter. O uso adicional de realidade aumentada e virtual expandirá nossa conexão com a internet, bem como seus perigos. Quando os pais falam com seus filhos sobre esses perigos, as crianças podem tomar melhores decisões e são mais propensas a levantar questões e preocupações.

À medida que as conversas com seus filhos acontecem, é uma oportunidade para discutir privacidade e descentralização e como as coisas podem ser diferentes em um modelo Web3. Com mais conceitos como cripto e blockchain entrando no mainstream, seria sensato que as crianças aprendessem conceitos básicos de tecnologia e criptomoeda agora, o que os ajudará a aproveitar oportunidades e evitar possíveis fraudes no futuro.

Uma boa paternidade na era da Web3 dependerá dos mesmos princípios básicos da boa paternidade de hoje: comunicação aberta e diálogo com nossos filhos.

Sobre o autor

Colin Pape é o fundador da Presearch, um mecanismo de busca descentralizado e voltado para a comunidade com 3,5 milhões de usuários registrados. Colin fundou a Presearch depois de perceber que uma única empresa controlava mais de 90% das consultas de pesquisa do mundo e que era necessária uma alternativa mais privada e descentralizada.

A Presearch está nivelando o campo de atuação da pesquisa, aproveitando a tecnologia blockchain e o poder da comunidade para enfrentar a maior empresa de internet do mundo. A Presearch recompensa os usuários por pesquisar e apoiar a rede em tokens PRE, uma criptomoeda baseada em Ethereum. Colin está baseado perto de Toronto, Canadá.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
BEINNEWS ACADEMY LTD © STREET: SUITE 1701 – 02A, 17/F, 625 KING’S ROAD, NORTH POINT. HONG KONG.