Ver mais

Como o Bitcoin está revitalizando El Salvador?

5 mins
Por Harsh Notariya
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A Bitfinex criou um documentário Don’t Trust… Verify" para mostrar a adoção do Bitcoin em El Salvador.
  • Roman Martinez, da iniciativa comunitária Hope House, acredita que o Bitcoin pode capacitar os que não têm conta bancária e fornecer educação financeira.
  • Desde a adoção do Bitcoin (BTC) como moeda legal, houve um aumento de 30% no turismo de El Salvador, segundo o seu Ministro das Finanças.
  • promo

Já se passaram mais de dois anos desde que El Salvador adotou o Bitcoin (BTC) como moeda legal. Embora isso fosse um plano de longo prazo para o país, os cidadãos já acreditam que a adoção lhes deu uma nova esperança.

O espírito do ecossistema Bitcoin é “não confiar, verificar”. E essa foi a inspiração para a equipe da Bitfinex viajar a El Salvador para fazer o documentário “Don’t Trust… Verify”, para que os espectadores possam testemunhar como o Bitcoin foi adotado no país em primeira pessoa.

Leia mais: As 10 criptomoedas para investir em janeiro de 2024

A estreia do documentário está marcada para o dia 22 de outubro em Lugano, Suíça. No entanto, o BeInCrypto conseguiu uma triagem antecipada.

Como a juventude de El Salvador tinha poucas esperanças de um futuro melhor

Até 2021, El Salvador era famoso pelas suas elevadas taxas de criminalidade e pela presença generalizada de gangues, pintando um quadro sombrio do cenário de segurança do país. Então, o país começou a ganhar as manchetes por sua jogada ousada de adotar o Bitcoin como moeda legal.

Segundo o diretor do Bitcoin Beach, Mike Peterson, os jovens cresceram no campo, morando longe dos pais.

Isso ocorreu porque alguns pais mudaram para os EUA em busca de emprego, enquanto outros foram presos por envolvimento em gangues. Por isso, Peterson falou no documentário que os jovens cresceram pensando que não havia esperança no país.

A Bitcoin Beach é uma iniciativa em El Zonte, uma cidade litorânea de El Salvador. Ela ganhou reconhecimento porque empresários e turistas da região usam cada vez mais o Bitcoin para transações, enquanto os trabalhadores da cidade recebem seus salários em moeda digital.

Fonte: Documentário

Bitcoin: uma nova esperança para El Salvador

Em meio ao envolvimento dos cidadãos em atividades criminosas, El Salvador enfrentou uma grave falta de educação financeira. Segundo o Statista, em 2021, apenas 36% da população adulta do país tinha conta em banco.

Fonte: Statista

O cofundador da iniciativa comunitária “Hope House”, Roman Martinez, explicou como os salvadorenhos tinham acesso muito limitado aos serviços financeiros:

“Meus pais, meu avô, nunca tiveram acesso a conta bancária. Eles nunca economizam dinheiro. Nunca ouvimos de ninguém da nossa família sobre o que é dinheiro ou (o que é) um ativo, ou sobre transações digitais ou sobre como fazer e receber pagamentos digitais. Essas eram coisas que as pessoas do primeiro mundo fazem; eles simplesmente lavam seus cartões de crédito e fazem isso”.

Martinez acredita que o Bitcoin incentiva os cidadãos a obterem educação financeira e capacita os que não têm conta bancária. Ele disse:

“Acho que quando o presidente transformou o Bitcoin em moeda com curso legal, ele deu a todos nós um lugar para ficarmos entusiasmados com o futuro, um lugar para vir e construir, um lugar para vir e sonhar. Acho que, como humanos, queremos viver em um lugar onde estejamos entusiasmados com o futuro. Quer morar em um lugar onde acordamos e vemos esperança. Queremos viver num lugar onde vemos que as coisas estão caminhando para um futuro melhor”.

A Hope House de Martinez educa os jovens para que possam encontrar esperança para um futuro melhor. Ela funciona em quatro pilares:

  • Educação;
  • Lazer;
  • Espiritualidade e
  • Fortalecimento.

Além disso, Martinez também falou sobre o funcionamento da Hope House. Ele explicou que:

“Temos um líder aqui todos os dias. Temos computador, internet, as crianças podem vir aqui. Há projetos diferentes o dia todo. Tentamos capacitar os jovens para que parem de sonhar em deixar o país.”

Fonte: Documentário

Como o Bitcoin ajudou a transformar a imagem internacional de El Salvador

Enquanto Martinez e a Hope House se esforçam para encorajar as crianças a não deixarem o país, cidadãos salvadorenhos de todo o mundo regressam ao seu país de origem. O podcaster Stephan Livera disse:

“Há um aumento em termos de salvadorenhos que regressaram ao país, a diáspora de todo o mundo, eles estão a voltar aqui para investir ou viver aqui ou trabalhar aqui”.

Segundo Livera, os entusiastas do Bitcoin também demonstraram interesse em se mudar para El Salvador. Ele disse:

“Eles estão aqui porque querem ver como é realmente gastar raios, receber raios, como é realmente viver aqui, no chão”.

Além disso, O Ministro das Finanças de El Salvador, Alejandro Zelaya, afirmou que houve um aumento de pelo menos 30% no turismo após a adoção do Bitcoin. Zelaya acredita que a criptomoeda também ajudou a revitalizar a imagem internacional do país. Ele disse:

“Além disso, a nossa antiga imagem internacional de ser um país violento foi substituída. Graças ao Bitcoin, somos reconhecidos como uma nação inovadora que defende a liberdade econômica e apoia uma economia globalizada. Nós resgatamos as recompensas não apenas no turismo, mas também através de um padrão internacional melhorado, sendo pioneiro num mercado que muitos países ainda não exploraram”.

O mundo começou a voltar ao normal em 2022, após os bloqueios da COVID-19. E isso também contribuiu para o aumento do turismo em El Salvador.

Fonte: Twitter (X)

Adoção completa do Bitcoin provavelmente levará tempo

Embora a rede Lightning do Bitcoin permita pagamentos quase instantâneos, a volatilidade do ativo pode impedir a adoção plena do Bitcoin. No entanto, Mike Peterson diz que quase 100 comerciantes aceitam pagamentos Bitcoin em El Zonte, a cidade da Bitcoin Beach.

Fonte: Documentário

Em setembro de 2021, mais de dois milhões de cidadãos de El Salvador começaram a usar a carteira Chivo, criada pelo governo, depois que ele ofereceu um incentivo de US$ 30 aos cidadãos que a baixassem. Ou seja, isso pode ter funcionado como um catalisador para aumentar o número de usuários.

No entanto, há poucos dados recentes que mostrem quantos usuários ainda usam ativamente a carteira Chivo.

Em relação à adoção do Bitcoin, o podcaster Livera disse:

“Uma daquelas coisas que você não pode esperar que tudo aconteça amanhã, certo? É um processo lento e, dada a volatilidade do Bitcoin, será necessariamente um processo lento”.

O CTO da Bitfinex e futuro CEO da Tether, Paolo Ardoino, citou o exemplo da adoção do euro nos países europeus. Ele explicou que foram necessários quase seis anos para a adopção do euro em todo o continente, apesar de isso ser obrigatório.

No entanto, a adoção do Bitcoin em El Salvador é opcional. Por isso, ele disse:

“Enquanto damos tempo para que outros países façam esse tipo de adoção. Temos que reservar o mesmo tempo para fazer o trabalho para fazer a adoção do Bitcoin (em El Salvador)”.

Além disso, é necessário propagar a educação sobre o Bitcoin entre os cidadãos, especialmente entre os jovens. O Mi Primer Bitcoin, um projeto educacional de Bitcoin em El Salvador, afirmou que educou 10.000 alunos em 2022.

Eles aprendem sobre como receber Bitcoin por meio da rede Lightning, nós, gastos duplos e o halving do Bitcoin.

Fonte: Documentário

Perda não realizada de milhões

De acordo com o Nayibtracker, site que rastreia o portfólio de Bitcoin de El Salvador, o país tem uma perda não realizada de US$ 33,7 milhões. O site mostra que El Salvador possui 3.054 Bitcoins a um custo médio de US$ 40.623.

Em novembro de 2022, Nayib Bukele, presidente de El Salvador, anunciou que o país compraria um Bitcoin por dia.

Fonte: Nayibtracker

Já o vice-presidente de El Salvador, Felix Ulloa, acredita que a perda não realizada não deve ser classificada como uma perda para o país. Ele disse:

“Não perdemos nada porque não vendemos um único Bitcoin que compramos”.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora-chefe do BeInCrypto Brasil. Jornalista de dados com formação pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia pela Globo e, agora, está se aventurando pelo mundo cripto. Tem passagens na Gazeta do Povo e no Portal UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados