Bitcoin btc
$ usd

Cofundador da Terra (LUNA) vai testemunhar na assembleia da Coreia do Sul

2 mins
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • O cofundador do Terra, Daniel Shin, foi envolvido como uma das testemunhas da Assembleia Nacional da Coreia do Sul.
  • Representantes da indústria de ativos virtuais, incluindo Shin, comparecerão perante o comitê de auditoria financeira.
  • Anteriormente, promotores sul-coreanos invadiram a casa de Shin para investigar alegações de atividades ilícitas por trás do colapso da Terra.
  • promo

Depois que o cofundador da Terra (LUNA), Do Kwon, foi listado como procurado pela Interpol, o colega Daniel Shin foi envolvido como uma das testemunhas na Assembleia Nacional da Coreia do Sul.

Relatórios locais notaram nesta quarta-feira (28) que representantes da indústria, incluindo Shin, comparecerão perante o comitê de auditoria financeira na próxima auditoria estadual anual da assembleia do país.

Colapso da Terra pode ser o centro das atenções na auditoria

Os relatórios afirmam que uma auditoria parlamentar de três semanas a partir de 4 de outubro também incluirá o CEO da Dunamu, Lee Sirgoo, o presidente da Bithumb, Lee Jeong-hoon, o gerente geral da Tchai Holdco, Shin Hyun-Seung, e o CEO da DSRV Labs, Kim Ji-Yoon, como testemunhas. Um funcionário da indústria disse ao jornal: “Estamos revisando internamente como nos preparar”.

Ji-Yun, do DSRV Labs, foi escolhido como testemunha da Terra, pois a empresa atuou como validadora de blockchain do projeto. Enquanto isso, o relatório observou que o co-fundador Shin não possui atualmente uma participação na rede, conforme as informações disponíveis.

Anteriormente, o Be[In]Crypto citou relatos que notaram que os promotores do Distrito Sul da Coréia do Sul invadiram a casa de Shin em um esforço para aprofundar sua investigação sobre alegações de atividades ilícitas por trás da extinta stablecoin TerraUSD (UST).

Oposição preparada para manter uma linha dura de questionamento

Enquanto isso, a oposição também deve lançar uma linha dura de questionamento contra o governo em várias questões. O presidente do Partido Conservador do Poder Popular, Yoon Suk-yeol, que iniciou seu mandato em 10 de maio, anunciou a aprovação de ofertas iniciais de moedas (ICOs) entre várias propostas pró-cripto com base nas promessas feitas em seu manifesto eleitoral.

Além disso, o operador da Upbit enfrentará uma série de perguntas sobre a receita da comissão Dunamu e o Centro de Proteção ao Investidor, pois entende-se que obterá lucros significativos em torno do colapso da Terra em maio. Há também várias alegações contra a operadora por lucrar com o atraso de uma resposta na época.

Com relação à revisão anual e seleção de testemunhas, outro funcionário do setor declarou em uma resposta traduzida: “Foi um resultado inesperado. Se você for chamado pela Assembleia Nacional, é correto ir e responder com sinceridade, mas algumas coisas são um pouco questionáveis porque não há nada que possa ser dito.”

Mais problemas para a Terra

Esta semana, a Interpol emitiu um ‘Alerta Vermelho‘ contra o cofundador da Terra, Do Kwon, enquanto ele continua negando as alegações de se esconder das autoridades. Kwon também recentemente negou as alegações da CoinDesk Korea que afirmavam que o executivo tentou “sacar” através do fundo do LFG.

Enquanto isso, o usuário FatMan, um dos membros da comunidade Terra que anteriormente alegou que Do Kwon tirou US$ 2,7 bilhões do sistema, está se inclinando para o cofundador sobre o assunto.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Formado em Administração de Empresas pela Universidade Positivo, Anderson atua como redator para o BeInCrypto há 2 anos. Escreve sobre as principais notícias do mercado de...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados