Ver mais

Clientes do Mercado Livre poderão investir em cripto

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Clientes do Mercado Livre no Brasil poderão comprar e vender criptomoedas, desde que tenham uma carteira digital.
  • Fintech da empresa, o Mercado Pago já começou a oferecer o serviço para alguns usuários.
  • Decisão segue a de outras empresas como a PayPal.
  • promo

Nas próximas semanas, clientes do Mercado Livre no Brasil poderão comprar e vender criptomoedas na plataforma Mercado Pago, desde que tenham uma carteira digital.

O serviço começou a ser oferecido a um pequeno grupo de usuários no início de novembro, com a expansão prometida para as próximas semanas. Os clientes ainda não podem usar cripto para comprar produtos diretamente pelo Mercado Livre.

“Dedicamos um tempo para estudar e aprender antes de decidir entrar nos criptoativos”, disse o vice-presidente do MercadoPago, Tulio Oliveira, à Bloomberg. “Isso tem um potencial de transformação pela frente e abre um novo caminho para nós”, acrescenta.

O Mercado Livre pretende reproduzir as carteiras de criptomoedas em outros mercados latino-americanos, segundo Oliveira.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

A estratégia é parte do plano da maior empresa da América Latina em capitalização de mercado para intensificar a incursão da companhia no mercado de criptoativos através do seu próprio app de pagamentos digitais, o Mercado Pago.

Mercado Livre aposta em cripto

O Mercado Livre começou como uma fintech em 2003, ampliando a oferta de serviços de pagamentos digitais de forma gradual. Atualmente a empresa oferece serviços de crédito para compradores e vendedores, além de seguros com um volume de total de pagamentos de US$ 20,9 bilhões no terceiro trimestre de 2021. O valor corresponde a um aumento de 44% em relação ao ano anterior em dólar americano.

O Mercado Livre anunciou, em maio passado, a compra de US$ 7,8 milhões em Bitcoin como estratégia, e seu co-fundador e CEO, Marcos Galperin, está entre aqueles que têm levantado bandeira a favor do Bitcoin e sobre o potencial de oportunidades em torno das criptomoedas.

A empresa, inclusive, já tem o aval do Banco Central (BC) para operar como uma instituição financeira. A decisão segue movimentos semelhantes dos grupos de pagamento digital dos Estados Unidos como a PayPal Holdings Inc. e Venmo LLC.  A abertura do PayPal às criptomoedas foi feita inicialmente apenas nos Estados Unidos e no mês passado se expandiu para o Reino Unido.  Segundo O CEO da companhia , Dan Schulman

Este feito marca a expansão do PayPal no mercado cripto e também o primeiro e lançamento internacional do serviço de criptomoedas do PayPal. Se o serviço for bem-sucedido no Reino Unido, ele pode ser expandido para todo o mundo.

O lançamento representa uma grande exposição de criptomoedas para milhões de pessoas, já que o PayPal tem um total de 392 milhões de usuários ativos, sendo 29 milhões comerciantes.  A empresa, fundada por Elon Musk, é uma das maiores do ramo dos pagamentos digitais, mas devido ao seu crescimento global também pode ser considerada um banco digital ou uma empresa de dados e serviços financeiros.

Schulman, acredita fielmente que as moedas digitais, em seus vários formatos, dominarão os mercados financeiros.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados