Ver mais

Chainlink (LINK): o que explica a recente alta de 20%?

2 mins
Por Martin Young
Traduzido Anderson Mendes

EM RESUMO

  • A LINK disparou cerca de 20% em menos de 24 horas, atingindo uma alta de 18 meses de US$ 10,86 nesta segunda-feira.
  • O recente salto está relacionado às exchanges coreanas Bithumb e Upbit, que acumularam um total de 945.000 de LINKs.
  • A Chainlink está trabalhando com grandes instituições financeiras como ANZ, BNP Paribas, BNY Mellon, Citigroup e Lloyds na tokenização de ativos do mundo real.
  • promo

Enquanto todos os olhos se voltavam para o Bitcoin (BTC), a Chainlink (LINK) disparou para o seu nível mais alto desde maio de 2022.

A LINK disparou 20% em menos de 24 horas, subindo de US$ 9 para US$ 10,86 – seu maior preço nos últimos 18 meses.

Leia mais: 4 criptomoedas que podem atingir novas máximas em julho de 2024

Chainlink em ascensão

A última vez que a Chainlink atingiu um nível de preço tão alto foi durante o crash do ecossistema Terra (LUNA). Atualmente, seu token nativo possui o melhor desempenho em todo o mercado.

Chainlink (LINK): o que explica a recente alta de 20%?

A grande mudança resultou em uma valorização de 44% nos últimos sete dias. O Lookonchain sinalizou uma série de relatórios de transações de baleias no último domingo (22). Também relata que o aumento de preço estava relacionado às exchanges coreanas.

“Percebemos que durante o aumento de preço da LINK, as exchanges coreanas Bithumb e Upbit acumularam um total de 945.000 LINK (US$ 9 milhões).”

Também fez uma análise dos detentores da criptomoeda, observando que as exchanges detêm 202,6 milhões de LINK, no valor de cerca de US$ 1,9 bilhão e representando 20,26% da oferta total.

Nesta segunda-feira, o embaixador do ecossistema ChainLinkGod lembrou aos seguidores que a Chainlink está “trabalhando com as maiores instituições financeiras do mundo para tornar realidade os ativos tokenizados do mundo real”.

Estes incluem o Grupo Bancário da Austrália e Nova Zelândia (ANZ), BNP Paribas, BNY Mellon, Citigroup e Lloyds Banking Group. Em uma postagem separada, ele acrescentou que o Chainlink Staking v0.2 será lançado ainda este ano. O projeto se baseia na funcionalidade dos mecanismos de staking de LINK.

O trader e analista Johnny observou que o par LINK/BTC estava saindo de uma tendência de baixa de mais de 1.100 dias, enquanto o par LINK/USD estava saindo de uma faixa de negociação de mais de 520 dias.

“Todos os sinais levam a um fort pump nos próximos meses.”

Movimentação das altcoins

A Chainlink não é a única altcoin com desempenho superior ao Bitcoin atualmente. A AAVE também está em forte ascensão, subindo 11% nas últimas 24 horas, chegando ao nível de US$ 80.

No entanto, regressou aos níveis de resistência que foram atingidos pela última vez e rejeitados em meados de julho.

Enquanto isso, o Fantom (FTM) acumula alta de 13% no dia para chegar a US$ 0,225. Este é o preço mais alto desde a queda do mercado em meados de agosto.

A Polygon (MATIC) subiu 8,6% para atingir uma alta de dez semanas de US$ 0,623. Por fim, o Aptos (APT) ganhou 9% nas últimas 24 horas, atingindo o preço de US$ 6,18.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados