Brasileira cofundadora da Women Force NFT é convidada para expor na Unesco em Paris

24 novembro 2022, 20:00 -03
Atualizado por Aline Fernandes
24 novembro 2022, 20:00 -03
EM RESUMO
  • Artista brasileira Di Couto, cofundadora da Women Force NFT é convidada pela Unesco para participar de uma exposição de arte em Paris.
  • Exposição será gratuita e acontece nos dias 25 e 26 de novembro.
  • Primeira coleção NFT da Women Force destina parte dos lucros para Floresta Amazônica.
  • promo

A artista brasileira Di Couto, co-fundadora da Women Force NFT foi convidada pela Unesco para participar de uma exposição de arte em Paris, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

A brasileira que aprendeu a pintar com o avô e tem abordado em seus trabalhos formas mais livres e cores fortes, trazendo símbolos e formas sobre o feminino, terá sua obra exposta em uma mostra que mescla o digital e o físico com experiências imersivas na capital francesa.

  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter, Instagram e Facebook.

“Foi muito legal ter sido convidada e acho que isso representa muito para gente, para o Woman Force esse reconhecimento como artista é incrível. Ser reconhecido por uma coisa que a gente faz que é tão genuíno e tão verdadeira. Eu acho que o Brasil ainda precisa se fortalecer nesse mercado de NFT. Então, acho que é muito importante a gente entender o valor de tudo isso, o valor da arte mesmo em si.” conta Di Couto.

/Artigos relacionados

Mais artigos

A brasileira também lembra que existem “muitos artistas incríveis e eu tenho certeza que a gente tem tudo pra bombar dentro desse mercado.

Então eu acredito muito no potencial do Brasil, na nossa potência. E muito feliz de estar representando o Brasil. É preciso valorizar mais as os artistas e as artes que a gente tem aqui dentro, concluí.”

A Mostra Reconciliação com os vivos é gratuita e convida as pessoas a pensarem sobre a crise climática. Segundo os organizadores do evento, a ONG Culture For Causes Network, o desafio do século 21 é que há uma corrida contra o tempo para tentar preservar o habitat natural na sua beleza e diversidade, para proteger os ecossistemas, os recursos naturais e transmiti-los às gerações futuras .

“A mudança exige uma evolução de mentalidades, uma forma diferente de pensar o lugar do homem na natureza. E a evolução de mentalidades pode ser provocada por artistas, que têm a capacidade de mudar a nossa visão do mundo, e que são produtores de mensagens universais”, explica a organização do evento.

Além de Di Couto que já teve obras expostas em Wynwood/Miami, Nova York, Portugal, Rio de Janeiro e São Paulo, a exposição conta com arte do francês Michaël Zancan, Sofia Crespo & Feileacan McCormick (Argentina e Noruega), da ucraniana Polina Kuznetsova e Nikolina Kovalenko representando os Estados Unidos. 

 As obras podem também convidar à reflexão poética sobre a reconciliação e coabitação das espécies.

Decidimos centrar-nos nestes artistas digitais que se apoderam do tema do vivo e da biodiversidade: contribuem para o surgimento de uma consciência para pensar sobre a reconciliação da humanidade consigo mesma e com os vivos , e representam, de forma afirmada ou não, uma forma de Arte comprometida em prol do meio ambiente que poderíamos chamar de artivismo verde , diz a organização a exposição.

Women Force NFT

O projeto nasceu com o sonho de duas mulheres de ajudar a alcançar a justiça de gênero, colocar os direitos das mulheres no centro de tudo e tornar o mundo um lugar melhor. 

“Achamos que Web3 e NFTs representam uma chance de arrecadar fundos para apoiar as causas em que acreditamos”.


Atualmente, as mulheres representam apenas 5% das vendas de NFT no mundo e representam apenas 16% do mercado de NFT , segundo dados da Women Force. As mulheres também são minoria nos investimentos em criptomoedas. 

“Com os NFTs temos uma grande oportunidade de empoderar mulheres para entrar neste nicho e aprender a investir em criptomoedas e NFTs – fazer parte de comunidades que compartilham das mesmas crenças e levantar nossas vozes para problemas sociais – criar belas e únicas Artes Digitais para apoiar as causas em que todos acreditamos e fazer a diferença”. Explica o site do Woman Force NFT.

Coleção Amazonia é dedicada a preservação de Floresta

Recentemente o projeto lançou a primeira coleção. São  7.236 NFTs únicos inspirados em mulheres e Amazonia, criada por Di Couto. Parte da receita das vendas dos Tokens será destinada a Ongs e outros projetos que apoiam a Floresta Amazônica, também chamada de pulmão do planeta.

Os NFTs que estão na blockchain da Ethereum também garante acesso exclusivo a grupos especiais do Discord, exposições, museus, conferências, parcerias, treinamento Web3 e farão parte do Programa de Parceria NFT da Women Force.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.