Ver mais

ETF de Bitcoin da BlackRock não registra entradas pela primeira vez em 71 dias de negociação

2 mins
Traduzido Aline Fernandes

EM RESUMO

  • Os fluxos de entrada para o IBIT, o ETF de Bitcoin da BlackRock, pararam pela primeira vez em 71 dias.
  • Enquanto isso, Hong Kong se prepara para lançar novos ETFs de Bitcoin com novos recursos.
  • Analistas observam como essa dinâmica global pode influenciar a trajetória do Bitcoin (BTC).
  • promo

O iShares Bitcoin Trust (IBIT)da BlackRock não registrou novos fluxos de entrada pela primeira vez em mais de dois meses. Isso marca uma pausa significativa em seu crescimento constante.

Essa estagnação ocorre em meio a flutuações mais amplas no mercado de fundos negociados em bolsa (ETFs) de Bitcoin à vista dos EUA, contrastando fortemente com o entusiasmo em mercados estrangeiros como Hong Kong.

ETFs de Bitcoin à vista dos EUA estão parados enquanto Hong Kong inova

Em 24 de abril, a entrada diária acumulada de ETFs de Bitcoin dos EUA caiu para US$ 120,64 milhões negativos, conforme dados da SoSo Value. Notavelmente, o IBIT, que anteriormente desfrutou de um fluxo contínuo de entrada por 71 dias de trading, teve zero fluxo de entrada na data do relatório.

Apesar disso, a IBIT ainda mantém o maior fluxo de entrada acumulado entre seus pares, acumulando impressionantes US$ 15,4 bilhões.

Leia mais: Previsão de preço do Bitcoin para 2024 / 2025 / 2030

Fluxos líquidos do iShares Bitcoin Trust (IBIT) da BlackRock.
Fluxos líquidos de entrada do iShares Bitcoin Trust (IBIT) da BlackRock. Fonte: SoSo Value

ETFs de outras plataformas com desempenho mínimo

Os outros ETFs de Bitcoin à vista dos EUA registraram um movimento positivo mínimo durante o mesmo período. Apenas o Fidelity Wise Origin Bitcoin (FBTC) e o ARK 21 Shares ETF de Bitcoin (ARKB) registraram entradas de US$ 5,61 milhões e US$ 4,17 milhões, respectivamente.

Enquanto isso, o Grayscale Bitcoin Trust ETF (GBTC) continua enfrentando desafios. O ativo registrou US$ 130,42 milhões em saídas diárias, elevando seus fluxos acumulados negativos para impressionantes US$ 16,96 bilhões.

A falta de fluxos de entrada no IBIT levanta questões sobre o futuro apetite por ETFs de Bitcoin nos EUA. Além disso, isso coincide com a ocorrência de suas contrapartes em Hong Kong.

Apetite por ETF de Bitcoin diminuí

Recentemente, a HashKey Exchange anunciou uma colaboração com a Boshi International e a HashKey Capital. O objetivo é lançar o Boshi Hashkey Bitcoin Spot ETF e o Boshi Hashkey Ethereum Spot ETF por meio da parceria.

Esses fundos permitem o resgate físico de ativos. Além disso, destaca uma vantagem estratégica que poderia atrair investidores que buscam exposição direta a criptomoedas sem a necessidade imediata de venda.

Essa inovação em Hong Kong contrasta com as abordagens mais conservadoras do mercado norte-americano. Os ETFs de Hong Kong estão prontos para iniciar a captação de recursos. Finalmente, a Bolsa de Valores de Hong Kong os listará em 30 de abril.

Cautela é importante

Apesar do otimismo em Hong Kong, os analistas continuam cautelosos quanto ao impacto imediato desses novos ETFs no mercado mais amplo. Eric Balchunas, analista sênior de ETFs da Bloomberg Intelligence, apontou as limitações do mercado de Hong Kong.

“O ecossistema subjacente lá é menos líquido e eficiente, o que poderia afetar o desempenho desses ETFs”, disse ele.

Entretanto, ele continua otimista com relação aos benefícios de longo prazo. Balchunas afirmou que “o fato de outros países acrescentarem ETFs de Bitcoin é, sem dúvida, um aditivo para o Bitcoin”.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

aline.jpg
Aline Fernandes
Aline Fernandes atua há 20 anos como jornalista. Especializada nas editorias de economia, agronegócio e internacional trabalha na BeINCrypto como editora do site brasileiro. Já passou por diversas redações e emissoras do país, incluindo canais setorizados como Globo News, Bloomberg News, Canal Rural, Canal do Boi, SBT, Record e Rádio Estadão/ESPM. Atuou também como correspondente internacional em Nova York e foi setorista de economia dentro do pregão da BM&F Bovespa, hoje B3 -...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados