Ver mais

Binance muda reservas para USDC em busca de entrada em novos mercados

2 mins
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • A Binance converteu 3% de seu fundo SAFU em USDC.
  • A exchange teria concordado com uma multa de US$ 2 milhões para resolver questões regulatórias na Índia
  • Além disso, ela conseguiu uma licença cripto completa em Dubai.
  • promo

A Binance, a maior exchange de criptomoedas do mundo, converteu uma parte de seu Fundo de Ativos Seguros para Usuários (SAFU) de bilhões de dólares para USD Coin (USDC). O objetivo é aumentar a confiança dos clientes ao usar uma stablecoin mais estável e transparente.

Enquanto isso, a empresa se prepara para voltar aos mercados da Índia e de Dubai.

Por que a Binance converteu o SAFU para USDC?

Estabelecido em 2018, o SAFU serve como um fundo de emergência para proteger os clientes da Binance em condições extremas. Ele era composto por Bitcoin, Tether, True USD e o próprio BNB da Binance. O fundo SAFU é, portanto, essencial para proteger os ativos dos clientes contra perdas.

Agora, a conversão para USDC representa 3% da oferta circulante da stablecoin.

Leia mais: 5 criptomoedas para ficar de olho em junho

A Binance afirma que conversão serve para adotar “práticas financeiras auditadas e transparentes”. A ação é significativa uma vez que a plataforma navega em ambientes regulatórios complexos.

“Ao longo dos anos, continuamos a monitorizar a dimensão do SAFU, mantendo o equilíbrio num nível adequado para salvaguardar os nossos clientes. Embora passe por flutuações, esse nível normalmente é de US$ 1 bilhão. O SAFU continua sendo uma parte essencial da nossa responsabilidade para com o ecossistema e continuamos a evoluir para enfrentar as condições do mercado de frente”, explicou a Binance.

Binance muda reservas para USDC em busca de entrada em novos mercados

Rumo a novos mercados

Ao mesmo tempo, a Binance pretende restabelecer a sua presença na Índia. O Economic Times informou que a gigante das criptomoedas está negociando seu retorno depois de ser uma das nove exchanges de criptomoedas bloqueadas pelo governo indiano em janeiro por não conformidade.

Em seu retorno, a Binance planeja reformar suas operações no sul da Ásia para cumprir integralmente a Unidade de Inteligência Financeira (FIU) da Índia, enfatizando a adesão a todas as regulamentações locais relevantes.

Esta reforma inclui o pagamento de uma multa de US$ 2 milhões como parte dos seus esforços de conformidade. A exchange de criptomoedas também abordará lacunas anteriores, particularmente a prevenção de um imposto de 1% deduzido na fonte.

Além disso, o Economic Times destacou que a Binance, em seu pico registrou cerca de US$ 4 bilhões em participações cripto entre os investidores. O retorno reflete uma tendência mais ampla de exchanges de criptomoedas trabalhando para se alinharem às diretrizes financeiras nacionais, garantindo que seus serviços permaneçam acessíveis e seguros em meio a estruturas regulatórias em evolução.

Enquanto isso, a Binance adquiriu uma licença cripto completa em Dubai, após uma revisão regulatória abrangente e ajustes na governança corporativa. A licença foi concedida após concessões significativas do cofundador e ex-CEO da Binance, Changpeng Zhao. Ele concordou em abrir mão do controle de voto na filial da entidade com sede em Dubai, a Binance FZE.

Este marco permite que a Binance FZE faça a transição de uma licença MVP Operacional para uma licença completa de Provedor de Serviços de Ativos Virtuais (VASP), permitindo-lhe oferecer serviços a um público mais amplo, incluindo investidores de varejo.

A exchange cripto também negocia com diversas jurisdições para finalizar sua sede.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora-chefe do BeInCrypto Brasil. Jornalista de dados com formação pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia pela Globo e, agora, está se aventurando pelo mundo cripto. Tem passagens na Gazeta do Povo e no Portal UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados