Ver mais

Binance é alvo de ação criminal ingressada pela CVM da Tailândia

2 mins
Atualizado por Paulo Alves

EM RESUMO

  • A CVM da Tailândia entrou com uma ação criminal contra a Binance por operar no país.
  • A notícia chega um dia depois da Autoridade Monetária das Ilhas Cayman alertar a exchange por operar sem licença.
  • A notícia vem depois das advertências do Reino Unido, Cingapura e Japão contra a exchange.
  • promo

A Binance enfrenta mais um problema após a Comissão de Valores Mobiliários da Tailândia entrar com uma ação criminal contra a exchange.

Binance está passando por semanas difíceis, já que países ao redor do mundo estão investigando a exchange, por vários motivos.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

O último país a tomar medidas contra a maior exchange de criptomoedas do mundo foi a Tailândia. Em um memorando recente da Comissão de Valores Mobiliários da Tailândia, a instituição entrou com uma ação criminal contra a Binance por operar negócios de ativos digitais sem licença.

O anúncio afirma ainda que “a Binance solicitou ao público tailandês e investidores para usar seus serviços, seja por meio de seu site ou da página do Facebook: Binance Thai Community”.

O órgão regulador do mercado de capitais do país já havia emitido uma carta de advertência, solicitando que a exchange apresentasse uma resposta por escrito às alegações. No entanto, a Binance não enviou uma resposta dentro do prazo estipulado.

De acordo com o anúncio, a violação é considerada criminosa, o que poderia levar a uma “pena de reclusão de dois a cinco anos e multa de 200.000 a 500.000 baht e outra multa diária não superior a 10.000 baht por cada dia em que o a contravenção continuar.”

A advertência agora significa que a CVM tailandesa dará continuidade a uma investigação, bem como a procedimentos legais contra a exchange.

Outros países também investigam a Binance

Mais recentemente, a Autoridade Monetária das Ilhas Cayman (CIMA) também anunciou que a Binance não está autorizada a operar dentro do país como uma exchange de criptomoedas.

O órgão regulador declarou que “a CIMA deseja informar ao público que a Binance, o Binance Group e a Binance Holdings Limited não estão registradas, licenciadas, regulamentadas ou de outra forma autorizadas pela Autoridade a operar um serviço de exchange de ou dentro das Ilhas Cayman.”

O último alerta contra a exchange ocorreu após os avisos de Cingapura e Japão, que reforçaram que a empresa não tem permissão para operar em jurisdições pelas quais ela não é regulamentada atualmente. O Reino Unido também tomou medidas contra a Binance, emitindo advertências contra a exchange.

O CEO da Binance, Changpeng Zhao, comentou no Twitter dizendo:

“Para aqueles que têm nos seguido/apoiado, você sabe que não nos envolvemos em debates/brigas, nos concentramos em resolver problemas e faremos. Como sempre, obrigado por sua confiança e apoio! Continuaremos a crescer juntos.”

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Ryan-James.jpg
Ryan Boltman
Ryan Boltman é editor-gerente da BeInCrypto, especializado nos mercados cripto com um forte foco na análise técnica e on-chain em um amplo espectro de ativos digitais. Suas áreas de especialização incluem soluções de Rede Secundária e de Camada 1, inteligência artificial (IA), ativos do mundo real (RWA), finanças descentralizadas (DeFi), redes de infraestrutura física descentralizadas (DePIN), moedas meme e altcoins. Antes de sua função atual, Ryan contribuiu para a Blockchain.com como...
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados