Ver mais

Banco Central da China vai trabalhar com Hong Kong no yuan digital

2 mins
Por Rahul N.
Traduzido Thiago Barboza

EM RESUMO

  • O banco central da China está trabalhando com a Autoridade Monetária de Hong Kong na CBDC.
  • Ele também procura trabalhar com instituições internacionais e autoridades monetárias.
  • A China esteve envolvida em um piloto internacional de CBDC transfronteiriço.
  • promo

O governador do Banco Popular da China, Yi Gang, disse que o banco trabalharia com a Autoridade Monetária de Hong Kong no yuan digital. Ele também observa que a privacidade é um fator importante no design e desenvolvimento.

O Banco Popular da China está trabalhando com a autoridade monetária de Hong Kong para lançar o yuan digital. O governador do banco central anunciou a iniciativa em um discurso na Hong Kong FinTech Week 2022. Várias províncias chinesas estão atualmente usando a moeda digital do banco central (CBDC).

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Yi observou que as CBDCs vêm atraindo mais atenção nos últimos anos e que a tecnologia pode ajudar as economias. O governador disse que o banco central estava trabalhando com o HKMA e outras autoridades monetárias.

O foco é “servir melhor os investidores globais e domésticos e ajudar a melhorar o papel de Hong Kong como um centro financeiro internacional”.

Ele também disse que a China trabalhará para aumentar a cooperação com instituições internacionais. Yi enfatizou que a cooperação internacional seria necessária para uma introdução suave da tecnologia.

Yi observou que havia desafios, afirmando que acreditava que a privacidade era um dos maiores problemas. Isso é algo que a China prometeu anteriormente manter.

Ele explica um sistema de duas camadas para este propósito da seguinte forma:

No nível um, o PBOC fornece e-CNY aos operadores autorizados e processa apenas informações de transações interinstitucionais. No nível dois, os operadores autorizados “apenas coletam as informações pessoais necessárias para seus serviços de troca e circulação ao público”.

CBDC da China avança

A China tem um dos experimentos mais extensos com uma versão digital da moeda fiduciária. Já completou muitos testes de CBDC com outros em andamento. Mais recentemente, o país expandiu o teste de CBDC para incluir Guangdong e outras três províncias.

A província de Chongqing lançou um piloto de pagamento de impostos para o yuan digital no início deste ano. Isso permite que os contribuintes façam seus pagamentos de impostos na CBDC. Esses pilotos levaram ao aumento do uso do CBDC da China em 1.800% nos últimos 12 meses.

Países concluem o piloto CBDC transfronteiriço

Houve desenvolvimentos em relação à cooperação internacional em CBDCs, que inclui o envolvimento da China. Vinte bancos de regiões como China, Hong Kong, Tailândia e Emirados Árabes Unidos concluíram um piloto para uso transfronteiriço de CBDC. Eles executaram 164 transações no valor de mais de US$ 22 milhões.

Enquanto isso, a Índia deve iniciar um teste de atacado para seu CBDC hoje. A moeda será usada para a “liquidação de transações no mercado secundário de títulos do governo”. Um teste de CBDC para investidores de varejo começará dentro de um mês.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Thiago-Barboza-red1.png
Thiago Barboza
Thiago Barboza é graduado em Comunicação com ênfase em escritas criativas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Em 2019 conheceu as criptomoedas e blockchain, mas foi em 2020 que decidiu imergir nesse universo e utilizar seu conhecimento acadêmico para ajudar a difundir e conscientizar sobre a importância desta tecnologia disruptiva.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados