Ver mais

Baleias de Cardano possuem 94% do estoque de ADA

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Segundo dados do Coin Metrics, os maiores investidores da Cardano (ADA) possuem 94% da oferta em circulação do token ADA.
  • Dados surpreendem e revelam uma baixa descentralização da oferta da criptomoeda.
  • Mesmo com as quedas de preço das últimas semanas, baleias de ADA estão acumulando mais unidades do ativo e destinando os tokens para pools de staking.
  • promo

Segundo dados do Coin Metrics, os maiores investidores da Cardano (ADA) possuem 94% da oferta em circulação do token ADA.

Um novo relatório de dados do Coin Metrics, empresa de monitoramento e análise do mercado cripto, observou um alto nível de centralização na Cardano.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Segundo os dados, cerca de 31 bilhões de tokens de Cardano estão em posse de apenas 10% do número total de usuários– considerados as maiores baleias da rede. Vale destacar que o número de ADA em circulação no mercado atualmente é de 33,43 bilhões, segundo a empresa.

Centralização da rede ADA

Os números surpreendem, pois mostram que uma porcentagem pequena de indivíduos possui praticamente toda a oferta da criptomoeda. O fato é ainda mais inusitado devido ao sucesso que a Cardano tem tido nos últimos meses em atrair novos desenvolvedores e usuários.

Desde a implementação da atualização Alonzo, em setembro, diversos projetos envolvendo DeFi, NFT, dApps e exchanges descentralizadas estão sendo desenvolvidos na blockchain da criptomoeda. Com isso, a rede chegou a ter quase 500 mil endereços no final de novembro.

A pouca descentralização, algo buscado por boa parte dos projetos cripto, acaba se tornando algo prejudicial pois deixa o preço da criptomoeda sujeito a movimentação de poucos usuários.

Por possuírem a maior parte da oferta do token, as baleias podem acabar derrubado o preço da ADA se decidirem vender seus ativos simultaneamente, deixando os demais investidores e traders “reféns” de suas intenções no mercado.  

Baleias preferem acumulação e staking

No entanto, os dados do Coin Metrics mostram que mesmo com as recentes quedas de preço, as baleias de Cardano estão preferindo acumular mais unidades do ativo do que realizar as suas posições – o que explica uma maior centralização do token.

Desde janeiro, esses grandes investidores adquiriram uma quantia somada de 1 bilhão de tokens ADA. Além disso, dados mostram que boa parte desses tokens tem sido usados em pools de staking, e não em negociações em exchanges.

Em dezembro, a Cardano ultrapassou a marca de 1 milhão de endereços de staking. Estima-se que quase 70% da oferta de ADA esteja sendo utilizada nesta atividade.

Apesar das baleias não estarem vendendo seus ativos, a Cardano está em forte tendência de baixa desde a sua máxima histórica de US$ 3,09 alcançada em setembro. Somente nos últimos 30 dias o token caiu 40%, sendo negociado atualmente em US$ 1,22, segundo o CoinGecko.

No entanto, a criptomoeda nativa da rede Cardano ainda acumula uma alta de aproximadamente 700% em relação a dezembro do ano passado, o que ajuda a explicar a forte acumulação das baleias.  

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados