Ver mais

Quem é Vitalik Buterin? – Conheça a história do cofundador do Ethereum

13 mins
Traduzido Anderson Mendes

Vitalik Buterin, o cofundador do Ethereum, desempenhou um papel importante na indústria cripto. A visão e o conhecimento técnico do desenvolveor trouxeram sucesso à rede, ao mesmo tempo que ajudaram a moldar todo o setor blockchain.

Em seguida, confira como Buterin, suas contribuições e suas visões para o futuro do Ethereum.

Quem é Vitalik Buterin?

Vitalik Buterin Railgun Celebrity Tokens Meme Coin

Vitalik Buterin é um dos cofundadores da rede Ethereum, uma blockchain descentralizada e plataforma de desenvolvimento. Nascido em Kolomma, na Rússia, em 31 de janeiro de 1994, a família de Vitalik partiu para o Canadá em busca de melhores oportunidades de emprego. Na época em que partiram, ele tinha seis anos.

Educação

As habilidades de Vitalik levaram à sua inscrição em um programa para superdotados na terceira série de uma escola primária canadense. Ele tinha habilidades distintas de programação e um interesse precoce por economia. Buterin demonstrou notável habilidade matemática. Apesar de seu talento acadêmico, ele estava distante de eventos sociais e atividades extracurriculares, o que lhe valeu a reputação de prodígio da matemática.

Além disso, Buterin gostava de jogar World of Warcraft. No entanto, sua experiência com o jogo foi alterada quando a criadora do game, a Blizzard, nerfou seu altamente valorizado personagem favorito. Foi então que ele percebeu falhas nos sistemas centralizados, o que o levou a desistir deste meio.

Após o ensino médio, Buterin matriculou-se na Universidade de Waterloo, fazendo cursos avançados e atuando como assistente de pesquisa de Ian Goldberg, um conhecido criptógrafo. Goldberg, conhecido por co-criar mensagens off-the-record e seu envolvimento com o Projeto Tor, foi mentor de Buterin durante esse período. Em 2012, o futuro desenvolvedor alcançou ainda mais reconhecimento ao conquistar a medalha de bronze na Olimpíada Internacional de Informática, realizada na Itália.

Patrimônio

O patrimônio líquido de Vitalik foi avaliado em de US$ 1,025 bilhão em 13 de junho de 2024. A maior parte de sua riqueza é atribuída às suas participações em ETH. Buterin detém atualmente 278.524 ETH e 256 WETH, tornando-o um dos maiores detentores da criptomoeda.

Portfólio de Vitalik Buterin: Nansen

Conquistas

Vitalik Buterin conquistou muito ao longo de sua carreira. Em 2014, recebeu a Thiel Fellowship, uma bolsa de prestígio que lhe permitiu se concentrar no desenvolvimento do Ethereum. No ano seguinte, seu trabalho inovador na rede rendeu-lhe o Prêmio Mundial de Tecnologia na categoria Software de TI. Este prémio celebrou as suas contribuições para a tecnologia e inovação, solidificando a sua reputação como visionário na indústria.

Além disso, Buterin foi incluído na estimada lista “40 under 40” da revista Fortune em 2016, reconhecendo a sua liderança e impacto como jovem inovador.

Em junho de 2017, Vitalik Buterin reuniu-se com o presidente russo, Vladimir Putin, durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo. A reunião teve como objetivo discutir a importância econômica do Ethereum para a Rússia.

Em 2018, Buterin recebeu mais reconhecimento por suas conquistas. A Forbes o incluiu em sua lista “30 under 30”, destacando suas realizações excepcionais e potencial em vários setores. Ele também foi homenageado com um doutorado honorário da Universidade de Basel por suas contribuições à blockchain e ao Ethereum. Além disso, em 2018, a comunidade do seu projeto homenageou a dedicação de Buterin com o Prêmio da Comunidade Vitalik Buterin, reconhecendo seu compromisso incomparável com o avanço e o crescimento do ecossistema do ETH.

A sua influência estendeu-se para além da indústria, evidenciada pela sua inclusão na lista Time 100 da revista Time em 2021, homenageando as suas contribuições globais para a tecnologia e as criptomoedas.

Filantropia

Os esforços filantrópicos de Vitalik Buterin têm sido bastante transparentes. Em outubro, ele esclareceu em suas plataformas sociais que quando artigos sugerem que ele está vendendo ETH, as transações são feitas por instituições de caridade, organizações sem fins lucrativos ou outros projetos para cobrir taxas associadas às suas doações. Ele acrescentou que não vende nenhuma criptomoeda para ganhos pessoais desde 2018.

Em 2021, Buterin doou mais de US$ 1 bilhão em criptomoedas para várias instituições de caridade, incluindo o fundo India Covid Relief. Os fundos vieram da venda de moedas meme com tema de cachorro que ele ganhou dos criadores de Akita Inu (AKITA), Shiba Inu (SHIB) e Dogelon (ELON).

Buterin fundou a Kanro, sua entidade de caridade, para combater pandemias. Ele se concentrou em enfrentar os desafios colocados pela COVID-19. O endereço publicamente conhecido da Kanro contém aproximadamente 75 milhões de stablecoins USDC.

Além da Kanro, Buterin fez outras doações, principalmente em éter. Alguns destinatários foram 13.292 ETH para a GiveWell, um avaliador de caridade, 1.000 ETH e 430 bilhões de tokens ELON para a Fundação Methuselah, que se concentra em prolongar a vida humana. Ele também doou 1.050 ETH ao Machine Intelligence Research Institute, que visa tecnologias seguras de IA.

O que Vitalik Buterin faz?

Vitalik Buterin é conhecido principalmente como cofundador da rede Ethereum, a segunda maior criptomoeda em valor de mercado. Desde o lançamento do projeto, Vitalik permaneceu uma figura central no seu desenvolvimento. Ele é o rosto público da plataforma, contribui para a sua direção técnica e defende a sua adoção.

Buterin também tem formação em ciência da computação. Suas habilidades de programação foram fundamentais na construção da rede, e ele continua a ser um líder inovador e consultor em tecnologia blockchain. Além disso, conforme descrito acima, Vitalik esteve envolvido em contribuições de caridade, particularmente em pesquisas médicas e iniciativas de saúde global.

Por que Vitalik Buterin é importante?

Vitalik Buterin é importante para a indústria cripto por ter fundado a rede Ethereum. O Ethereum introduziu contratos inteligentes, que são acordos autoexecutáveis ​​que abriram portas para várias aplicações além das criptomoedas. Além do Ethereum, Buterin é uma figura proeminente em blockchain e criptografia. Seu conhecimento técnico e visão para o futuro da tecnologia são amplamente respeitados.

Aos 30 anos, ele se tornou uma figura significativa na indústria, sendo comparado desde então com Satoshi Nakamoto em termos de importância. Suas contribuições solidificaram sua posição como um ator-chave na definição do futuro do mercado de criptomoedas.

Como Vitalik Buterin começou a trabalhar no Ethereum?

Em 2011, buscando uma nova direção, Vitalik Buterin tropeçou no Bitcoin. Inicialmente cético devido à falta de apoio físico, ele gradualmente ficou intrigado à medida que examinava mais profundamente seu funcionamento e potencial.

Desejando participar ativamente neste setor, Buterin procurou adquirir BTC, mas não tinha recursos para minerá-los ou comprá-los imediatamente. Em vez disso, ele recorreu a fóruns on-line, onde começou a escrever artigos para um blog, ganhando aproximadamente 5 BTC por artigo.

Buterin explorou as dimensões econômicas, tecnológicas e políticas da criptografia. Seus escritos chamaram a atenção de Mihai Alisie, um colega entusiasta do Bitcoin que mora na Romênia. Isso levou à criação da Bitcoin Magazine, que Buterin co-fundou no final de 2011. Ao fazer malabarismos com escrita, viagens e trabalho por mais de 30 horas semanais, Buterin decidiu deixar a universidade.

O que o motivou?

Buterin viajou pelo mundo pesquisando várias altcoins. Ele deduziu que os projetos existentes tinham um foco muito restrito e careciam de versatilidade. O desenvolvedor acreditava que uma blockchain de sucesso deveria ter mais aplicações e mais adaptabilidade. Ele reconheceu o potencial de generalização dos protocolos já existentes e usou linguagens de programação completas de Turing para desenvolver a ideia do Ethereum. Apesar das rejeições iniciais dos projetos existentes, ele criou a rede e escreveu o white paper do projeto.

No início de 2014, Buterin colaborou com um grupo de visionários, incluindo Gavin Wood, Anthony Di Iorio, Charles Hoskinson e Joseph Lubin, para estabelecer o Ethereum. Juntos, eles iniciaram uma campanha de oferta inicial de moedas (ICO) para financiar o desenvolvimento da plataforma, oferecendo ETH em troca de contribuições.

A campanha superou as expectativas, arrecadando mais de US$ 18 milhões em Bitcoin. Com o financiamento, a plataforma passou a ser desenvolvida, com foco na viabilização de contratos inteligentes e aplicações descentralizadas. O Ethereum introduziu Solidity, uma nova linguagem de programação para escrever contratos inteligentes.

Em julho de 2015, o Ethereum lançou a rede Frontier, sua implementação inicial. Desde então, o ecossistema passou por várias atualizações, incluindo os hard forks Metropolis, Constantinople, Istanbul e The Merge, aprimorando suas capacidades e escalabilidade.

Quais são os desafios que Buterin enfrentou?

ETF de Ethereum

Vitalik Buterin encontrou vários desafios técnicos ao longo do desenvolvimento do Ethereum. A rede é uma plataforma complexa, segura e escalável que enfrentou desafios técnicos. Algumas das questões abordadas foram garantir a segurança dos contratos inteligentes, alcançar escalabilidade no tratamento de elevados volumes de transações e equilibrar a descentralização com a eficiência.

“As soluções da camada 2 são fundamentais, pois melhoram a escalabilidade e reduzem os custos de transação, o que, por sua vez, torna o Ethereum mais acessível e eficiente para uma base de usuários mais ampla. Além disso, a crescente adoção de stablecoins na rede Ethereum reforça significativamente sua utilidade como infraestrutura financeira.”

Miguel Buffara, engenheiro financeiro líder da RACE: entrevista ao BeInCrypto

Como tudo em uma blockchain pública é transparente, a privacidade do usuário também tem sido um importante ponto de discussão. Desde então, equilibrar a necessidade de transparência com o desejo de anonimato tem sido um esforço contínuo.

A blockchain Ethereum desenvolveu casos de uso como aplicativos descentralizados (DApps) e organizações autônomas descentralizadas (DAOs). No entanto, o lançamento do DAO em Abril de 2016 causou um revés significativo.

Com a intenção de revolucionar o crowdfunding, o DAO levantou rapidamente cerca de US$ 150 milhões em ETH. No entanto, vulnerabilidades em sua base de código levaram a uma exploração, resultando no roubo de 3,6 milhões de ETH, cerca de US$ 50 milhões na época.

Em resposta, Vitalik Buterin decidiu bifurcar a rede Ethereum para impedir o hack e restaurar os fundos roubados. A incapacidade de reconciliar essas diferenças levou à divisão da blockchain em duas cadeias separadas: Ethereum (ETH) e Ethereum Classic (ETC). O Ethereum avançou com o fork para recuperar os fundos roubados, enquanto o Ethereum Classic permaneceu na blockchain original.

O ETH tornou-se mais popular com o tempo e atraiu o apoio da Enterprise Ethereum Alliance, que tinha mais de 200 membros, incluindo JP Morgan e Citigroup.

Ethereum para o Ethereum 2.0: a transição

Baleias retiram US$ 3 bilhões em ETH das exchanges após aprovação do Spot Ethereum ETF

Vitalik Buterin reconheceu que a versão de prova de trabalho (PoW) do Ethereum levou ao aumento das taxas de rede do Ethereum, tornando as transações muito caras para muitos usuários. Este atraso levou Buterin a reconhecer que a transição para um mecanismo de consenso de prova de participação (PoS) levaria seis anos em vez do previsto.

Para atender à necessidade de melhorar o rendimento das transações e o gerenciamento de congestionamento, o Ethereum adotou o sharding como parte da atualização do Ethereum 2.0 (The Merge). A fragmentação divide a rede em cadeias de fragmentos, distribuindo a carga e visando aumentar o rendimento das transações e aliviar o congestionamento.

The Merge integrou a rede principal original do Ethereum com sua nova Beacon Chain de prova de participação. De fato, essa transição eliminou a mineração com uso intensivo de energia e permitiu que a rede fosse protegida por meio de ETH apostado.

No entanto, a adoção de uma abordagem mais centralizada por Buterin e sua equipe se afastou da estratégia descentralizada anteriormente favorecida pelos membros da comunidade Ethereum. Além disso, as expectativas dos detentores mudaram, vendo ETH como um ativo de investimento e não como uma moeda descentralizada.

Vitalik Buterin: pensamentos e pontos de vista

Em depoimento estudantil na Abelard School, Vitalik Buterin reiterou sua experiência de trabalho no Ethereum e na indústria de criptomoedas em geral:

“Estou realmente grato por ter a oportunidade de trabalhar em uma área tão interessante e interdisciplinar da indústria, onde tenho a oportunidade de interagir com criptógrafos, matemáticos e economistas proeminentes em suas áreas para ajudar a construir software e ferramentas que já afetam dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo e trabalhar em problemas avançados em ciência da computação, economia e filosofia todas as semanas.”

Vitalik Buterin

O envolvimento de Buterin em projetos de blockchain além do Ethereum, como L4 e Plasma Group, sinaliza seu interesse em contribuir para o setor.

Em uma postagem de julho de 2022 no X, ele criticou o CEO da Meta Platform, Mark Zuckerberg, sugerindo que as tentativas corporativas de criar o metaverso podem falhar. Buterin, por outro lado, acredita que é muito cedo para definir o metaverso e que qualquer tentativa atual pode falhar.

Dado o papel do Ethereum como base para vários desenvolvimentos, como DeFi, NFTs e stablecoins, não é surpreendente que Buterin espere que a rede lidere no espaço de metaverso.

Além disso, Buterin vê o ecossistema Ethereum Name Service (ENS) fornecendo nomes de usuário web3 para endereços criptográficos e sites descentralizados e permitindo identidades de plataforma cruzada para usuários e itens. Ele acredita que o ENS oferece soluções que muitas pessoas ignoram.

Buterin é fascinado pelo Argumento de Conhecimento Sucinto Não Interativo de Conhecimento Zero (zk-SNARKs), uma prova cripto que permite a uma parte provar a posse de informações específicas sem revelá-las. Isto elimina a necessidade de interação entre o provador e o verificador. Buterin prevê que os zk-SNARKs se tornarão a tecnologia de preservação de privacidade mais amplamente utilizada nas próximas três décadas. Ele chama isso de uma revolução potencial que pode se tornar popular nos próximos 10 a 20 anos.

Buterin delineou planos futuros para o Ethereum, como a implementação de fragmentação para escalabilidade (o Surge), a introdução de árvores Verkle para eficiência (The Verge), a redução dos requisitos de armazenamento (The Purge) e, por fim, o aumento da resistência quântica (o Splurge).

Quem controla o Ethereum agora?

O Ethereum opera como uma plataforma blockchain descentralizada construída por desenvolvedores em todo o mundo. Nenhuma entidade a controla. Embora a Fundação Ethereum tenha sido importante na criação da infraestrutura inicial e continue a apoiar o desenvolvimento, o controle sobre a rede passou para a comunidade mais ampla.

O modelo de governança descentralizada garante que nenhuma entidade ou indivíduo, incluindo a Fundação Ethereum ou Vitalik Buterin, possa alterar unilateralmente a plataforma. Em vez disso, as decisões são tomadas coletivamente pela comunidade, que inclui desenvolvedores, operadores de nós e detentores de ETH.

O sucesso da rede depende da participação dos membros. Eles realizam atividades como staking e proteção da rede por meio de operações de nó e participações em ETH. Com centenas de milhares de desenvolvedores contribuindo para o desenvolvimento contínuo da plataforma, o Ethereum continua sendo um ecossistema descentralizado e colaborativo.

As Propostas de Melhoria Ethereum, ou EIPs, permitem que a comunidade proponha melhorias para a rede. Qualquer membro da comunidade pode enviar EIPs via GitHub. Uma vez propostos, eles passam por discussão e revisão pela comunidade, incluindo editores, para aprovação.

Além disso, membros do fórum e entusiastas do Ethereum participam de discussões, fornecendo feedback ao autor da proposta. Os EIPs podem cobrir vários aspectos da rede. Um exemplo disso são as alterações na norma técnica ERC-20, que rege as transações Ethereum.

O impacto de Vitalik Buterin

Em conclusão, podemos dizer que Vitalik Buterin desempenhou um papel significativo no desenvolvimento e evolução do Ethereum. Como cofundador e líder, ele liderou atualizações como o Ethereum 2.0, que fez a transição da rede para prova de participação e impulsionou o Ethereum para a vanguarda da revolução blockchain. Além disso, o compromisso de Buterin com a inovação tem sido um impulsionador na transformação da indústria blockchain.

Perguntas frequentes

Quem é Vitalik Buterin?

Por que Vitalik Buterin é importante?

O que inspirou Vitalik Buterin a criar o Ethereum?

Como Vitalik Buterin contribuiu para a tecnologia blockchain?

Qual é a visão de Vitalik Buterin para o futuro do Ethereum?

Quão rico é Vitalik?

Qual o QI de Vitalik Buterin?

Quem são os cinco fundadores do Ethereum?

Quem possui mais Ethereum?

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024
Coinbase Coinbase Explorar
PancakeSwap PancakeSwap Até 50% APR
Margex Margex Explorar
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e com o objetivo único de informar. Qualquer atitude tomada pelo usuário a partir das informações veiculadas no site é de sua inteira responsabilidade.
Na seção Aprender, nossa prioridade é fornecer informações de alta qualidade. Nós tomamos o tempo necessário para identificar, pesquisar e produzir conteúdo que seja útil para nossos leitores.
Para manter esse padrão e continuar a criar um conteúdo de excelência, nossos parceiros podem nos recompensar com uma comissão por menções em nossos artigos. No entanto, essas comissões não afetam o processo de criação de conteúdo imparcial, honesto e útil.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO