Ver mais

Além da Web3: estratégias de marketing cripto para melhorar a conscientização

4 mins
Por Bary Rahma
Traduzido Júlia V. Kurtz

Formular estratégias de marketing eficazes para cativar um público mais amplo é crucial e desafiador ao mesmo tempo. Em 2023, o número de usuários de criptomoedas disparou para mais de 420 milhões, destacando um aumento acentuado no interesse e na participação.

Este crescimento demográfico apresenta uma oportunidade única para as empresas elaborarem estratégias de marketing que ressoem em diversos grupos de público.

Mudando a narrativa para alcançar mais público

Compreender o público é a base de qualquer estratégia eficaz de marketing cripto. Isto significa reconhecer que a pessoa média está mais interessada em como a tecnologia blockchain pode melhorar de forma prática a sua vida quotidiana do que em termos técnicos e jargões complexos.

Por esse motivo, o especialista em marketing cripto Kevin Hernandez afirmou que as mensagens devem promover aplicações dessas tecnologias no mundo real. O objetivo deve ser torná-los mais acessíveis e relacionáveis para o público em geral.

Selecionar os canais de comunicação certos é vital para alcançar um público mais amplo. Embora os canais tradicionais focados em cripto, como Twitter (X) ou Reddit, sejam valiosos, Hernandez destacou a importância de explorar plataformas já populares, como Instagram, Facebook e WhatsApp.

Envolver o público nessas plataformas pode ajudar a quebrar barreiras de entrada. Isto cria um ambiente mais inclusivo para discussões sobre cripto.

“Conteúdos muito densos sobre assuntos monetários ou financeiros atingem apenas um público menor. Agora, se, em vez disso, colocarmos uma solução de poupança que supere os problemas de inflação, e o conteúdo refletir isso de uma forma que seja usada num dia normal para qualquer pessoa, o público poderá se conectar melhor com a mensagem, impulsionando o crescimento de uma comunidade, disse Hernandez.

Educação em criptomoedas

Portanto, o envolvimento e a educação são componentes críticos desta estratégia. Simplificar o conteúdo para torná-lo mais compreensível e focar em soluções práticas para problemas comuns pode promover uma conexão mais forte.

A educação é crucial dada a lacuna de conhecimento de criptomoedas entre diferentes grupos demográficos.

Por exemplo, uma pesquisa de julho de 2023 revelou que 26% dos millennials possuíssem Bitcoin, mas apenas 14% de todos os adultos americanos o possuíam. Isso sublinha a importância dos esforços educacionais para colmatar esta divisão.

“Aqui temos um verdadeiro desafio. Atualmente, as gerações mais jovens têm uma tendência mais clara para a adoção de tecnologia. Mas, para atingir as gerações mais velhas, apresentar os produtos como uma antítese que procura destruir o sistema tradicional pode não funcionar. A abordagem deveria ser mais passiva, de coexistência, mostrando as vantagens que a tecnologia blockchain apresenta para melhorar os sistemas atuais”, acrescentou Hernandez.

Construindo confiança em cripto

A construção de confiança e a identidade da marca também são aspectos fundamentais da abordagem de Hernandez. Ele aconselha projetos cripto a promover experiências positivas do usuário e manter boas práticas administrativas para construir a confiança de seu público.

“Durante um mercado baixista, os projetos sobreviventes são separados daqueles que perecerão devido à seleção natural. A confiança é obtida após um relacionamento entre a plataforma e os usuários, e você não pode comprar esse relacionamento, você deve construí-lo. Eo caminho mais fácil é com uma experiência positiva, resolvendo os problemas de forma orgânica e estando tacitamente presente no dia a dia do usuário”, enfatizou Hernandez.

Com cerca de 70% dos investidores em criptomoedas sendo homens, há uma necessidade premente de estratégias inclusivas que atraiam um público mais amplo, incluindo mulheres e grupos mais velhos e menos orientados para a tecnologia.

Os esforços de marketing criptográfico também devem atender àqueles que podem não estar tão familiarizados com as tecnologias digitais para construir uma comunidade forte além do preço de um token nativo.

Portanto, à medida que as criptomoedas ganham aceitação popular, as estratégias de marketing precisam ser adaptativas. É preciso apresentar criptomoedas e blockchain como ferramentas e soluções de liberdade financeira para as necessidades financeiras diárias.

Esta mudança de perspectiva é crucial para que as criptomoedas se tornem tão comuns e fáceis de usar quanto outras ferramentas financeiras convencionais.

Trazendo cripto para o mundo físico

Hernandez explicou o valor dos depoimentos e avaliações de clientes no marketing de projetos cripto para um público mais amplo. Feedback positivo e histórias do mundo físico sobre como o mercado beneficiou os usuários, por exemplo, podem ser ferramentas poderosas para impulsionar a adoção.

“Acho que o melhor exemplo que posso dar é minha recente viagem a Bogotá, onde vi muitas pessoas que não tinham dinheiro e, na maioria dos lugares, não aceitavam cartões como Zinli ou Wally, mas tínhamos Bitcoin e fomos a um caixa eletrônico para sacar Pesos sem problemas. Essa experiência simples resolveu um problema para nós com o uso da tecnologia. Agora imagine essa experiência colocada em uma estratégia de marketing e você terá um ótimo resultado”, finaliza Hernandez.

Esses exemplos, portanto, dão credibilidade a projetos. Eles também fornecem um narrativa relacionável que pode persuadir usuários em potencial a explorar e adotar soluções cripto.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia-V.-Kurtz2.png
Júlia V. Kurtz
Editora-chefe do BeInCrypto Brasil. Jornalista de dados com formação pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia pela Globo e, agora, está se aventurando pelo mundo cripto. Tem passagens na Gazeta do Povo e no Portal UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados