Ver mais

Acesso a mais de 300 CryptoPunks pode ter sido perdido, diz desenvolvedor

2 mins
Atualizado por Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • Análises de um desenvolvedor indicam que cerca de 300 CryptoPunks podem estar perdidos para sempre, devido a erros de seus detentores.
  • Cinco unidades foram enviadas para endereços errados, fazendo os tokens serem "queimados".
  • 295 CryptoPunks estão armazenados em carteiras que não possuem nenhuma movimentação nos últimos 1.000 dias.
  • promo

Análises de um desenvolvedor indicam que cerca de 300 CryptoPunks podem estar perdidos para sempre, devido a erros de seus detentores.

Lançados pelo estúdio Larva Labs em 2017, os CryptoPunks são uma das coleções mais populares no mercado de tokens não fungíveis (NFT) da atualidade.

A coleção conta com 10.000 obras, algumas sendo leiloadas por altos valores e adquiridas por grandes players do mercado, como a gigante de pagamentos Visa. Atualmente, estima-se que a unidade mais barata de CryptoPunks está precificada em 66 Ethereum (ETH), aproximadamente R$ 1,4 milhão pela cotação atual.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedasConfira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.

Apesar da alta procura pelos ativos, é provável que algumas centenas de CryptoPunks jamais estejam disponíveis para negociações novamente, devido a erros de seus donos. O desenvolvedor e detentor de um desses tokens, @punk9863, compartilhou sua análise sobre o tema em seu perfil no Twitter.

CryptoPunks perdidos para sempre

Segundo o desenvolvedor, é possível que até 300 CryptoPunks tenham sido perdidos ao longo dos anos. Conforme observado, pelo menos cinco unidades da coleção foram “queimadas” devido a erros como o envio para endereços não condizentes ou para o contrato da coleção – ações que acabam fazendo os ativos se perderem para sempre.

Além disso, cerca de 295 CryptoPunks estão armazenados em carteiras cripto que não possuem nenhuma movimentação nos últimos três anos. Isso é incomum, visto que com a alta valorização que a coleção teve nos últimos meses, alguns desses usuários buscariam vender suas obras para conseguir lucro.

Dessa forma, tudo leva a crer que os donos dessas carteiras acabaram perdendo suas chaves de acesso, não conseguindo movimentar seus CryptoPunks. Segundo a análise de @punk9863, mais de 50 carteiras contendo pelo menos um token da coleção estão inativas a mais de 1.000 dias. Um desses endereços possui 141 CryptoPunks.

Milhões de dólares perdidos

Caso os detentores desses ativos tenham realmente perdido suas chaves de acesso, é possível afirmar que esses CryptoPunks estão realmente perdidos para sempre, pois é impossível recuperar essas chaves.

O valor das obras que estão depositadas nessas carteiras pode valer cerca de US$ 100 milhões, segundo @punk9863. Isso se deve ao fato de algumas unidades serem extremamente raras. Porém, o valor pode ser ainda maior.

Segundo ele, ainda há outros endereços que possuem movimentações mais recentes, mas que nunca reclamaram seus meebits – NFTs dados como premiação para os detentores de CryptoPunks. Caso os usuários dessas carteiras também tenham perdido suas chaves, o número de tokens perdidos da coleção ultrapassaria 500.

Casos como esse não são exclusivos de NFTs. Um estudo indica que 1/3 da oferta atual de Bitcoin (BTC) está em carteiras que não são movimentadas a muito tempo, levando a crer que seus donos perderam suas chaves de acesso.

No entanto, não é incomum que algumas contas sejam movimentadas após um longo período de inatividade. Na semana passada, uma baleia de BTC voltar a realizar transações com a criptomoeda após nove anos de inércia.

Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

4d198a1c7664cbf9005dfd7c70702e03.png
Anderson Mendes
Membro ativo da comunidade de criptoativos e economia em geral, Anderson é formado pela Universidade Positivo, e escreve sobre as principais notícias do mercado. Antes de entrar para a equipe brasileira do BeInCrypto, Anderson liderou projetos relacionados à trading, produção de notícias e conteúdos educacionais relacionados ao mundo cripto no sul do Brasil.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados