Ver mais

3 escândalos cripto de celebridades que definiram uma era

4 mins
Por Josh Adams
Traduzido Júlia V. Kurtz

EM RESUMO

  • O envolvimento de celebridades em escândalos cripto pode parecer raro hoje em dia, mas costumava ser comum.
  • Novos projetos costumavam pagar celebridades para promover sua oferta inicial de moedas (ICO).
  • Aqui está uma retrospectiva da última década, quando algumas celebridades eram ingênuas sobre áreas emergentes de finanças.
  • promo

Celebridades e escândalos cripto são como duas ervilhas em uma vagem. Nós revemos algumas das mais estranhas dos últimos anos.

É difícil imaginar isso agora, mas houve um tempo em que cripto e escândalo não eram companheiros tão familiares. No final da década de 2010, o Bitcoin já existia há tempo suficiente para chamar a atenção.

Leia mais: 5 criptomoedas para ficar de olho em junho

As pessoas tinham uma vaga ideia do que era uma criptomoeda. Então, quando seus concorrentes entraram no mercado, preços inflacionados e celebridades ansiosas pareciam a receita perfeita para o desastre.

John McAfee e o Pump and Dump de altcoins

Qualquer pessoa que já tenha usado um computador se lembrará de John McAfee, o pioneiro do software antivírus cuja antiga empresa ainda leva seu nome.

Em março de 2021, o titã do antivírus e seu guarda-costas, Jimmy Gale Watson, foram indiciados por fraude e acusações de conspiração para lavagem de dinheiro decorrentes de dois esquemas de criptomoeda. As autoridades acusaram McAfee de usar seu grande número de seguidores no Twitter para inflar artificialmente os preços das altcoins em um esquema de pump and dump.

Ele também enfrentou acusações de ocultar pagamentos que a McAfee recebeu de empresas iniciantes para promover ofertas iniciais de moedas. A McAfee supostamente ganhou mais de £ 13 milhões com esses esquemas. O diretor assistente do FBI, William F. Sweeney Jr., chamou o caso de “um antigo esquema de bombeamento e despejo”.

A Commodity Futures Trading Commission (CFTC) também apresentou acusações civis.

No entanto, apenas alguns meses depois, McAfee foi encontrado morto em sua cela perto de Barcelona em um aparente suicídio. Horas antes, um tribunal aprovou sua extradição para os Estados Unidos para enfrentar acusações fiscais puníveis com décadas de prisão.

Em um acordo, seu guarda-costas foi condenado a pagar mais de US$ 290.000. À luz da morte de McAfee, as autoridades optaram por não prosseguir com o caso.

Aqui está um caso raro de escândalo cripto de celebridade em que o culpado provavelmente sabia o que estava fazendo. Em muitos casos, as celebridades são ingênuas ou convencidas de que podem se safar. Indiscutivelmente, a McAfee não era nenhum dos dois.

Paris Hilton e a LydianCoin

Antes de se tornar membro do Bored Ape Yacht Club (BAYC) e ajudar a despertar o interesse mundial em NFTs, Paris Hilton teve um papel nada glamoroso no “verão ICO”. Esse período tornou-se famoso pelo aumento da popularidade das ofertas iniciais de moedas (ICOs).

Um método de arrecadação de fundos no qual as empresas ofereciam suas criptomoedas e tokens em troca de financiamento. Muitos novos projetos foram lançados, alguns prometiam revolucionar as indústrias, outros eram fraudes, mas a maioria simplesmente não conseguiu viver de acordo com o hype.

Paris Hilton foi uma das primeiras celebridades a ser vítima. No dia 3 de setembro, Hilton usou sua reputação de celebridade em nome da LydianCoin, uma empresa sediada em Cingapura que pretendia arrecadar US$ 100 milhões por meio de sua ICO.

Mas parece que Hilton não fez sua devida diligência. A moeda parecia ter pouca utilidade. Ela também estava ligada a uma empresa chamada Gravity4, que tinha um histórico de problemas legais e violações regulatórias.

Além disso, o fundador da Gravity4, Gurbaksh Chahal, tinha um passado controverso, que incluiu uma condenação por violência doméstica.

À medida que a preocupação aumentava, os olhos se voltaram para Hilton em busca de uma explicação. Antes do final do mês, a celebridade havia excluído o tuíte.

No entanto, Hilton é um exemplo de celebridade que saiu e voltou ao mercado com mais conhecimento. Ela afirma ter investido pela primeira vez em Bitcoin e Ethereum em 2016.

A herdeira também foi rápida em entrar em NFTs, criando seu primeiro em 2019. Desde então, ela organizou festas no metaverso e fez parceria com The Sandbox para seu próprio espaço virtual. centrado em moda, música e animais.

Fonte: The Sandbox

Steven Seagal e o “Bitcoiin”

Steven Seagal não faz grandes filmes desde a década de 1990. Até recentemente, ele ainda estrelou em filmes de ação, mas a maioria foi diretamente para DVD ou serviços de streaming.

Portanto, em 2018, é possível que a lenda do cinema precisasse de um pouco de dinheiro. Naquele ano, a Bitcoiin2Gen contratou Seagal como ’embaixador da marca’.

Em seguida, um comunicado de imprensa que Seagal compartilhou afirmou que faria uma “versão superior ou mais avançada do Bitcoin Original”. Uma alegação espúria, para dizer o mínimo.

Seagal recebeu a promessa de US$ 250.000 em dinheiro e US$ 750.000 em tokens B2G em troca de suas promoções nas redes sociais. Ele “de todo o coração” endossou a ICO da moeda em um comunicado à imprensa.

Em 2020, a SEC determinou que Seagal violou as disposições anti-divulgação das leis federais de valores mobiliários durante seu tempo como “embaixador da marca” para o “Bitcoiin”. O ator concordou em pagar US$ 314.000 em reembolso e multas em um acordo.

Embora ele não tenha admitido ou negado as alegações da SEC,  Seagal também concordou em não promover nenhum título, incluindo títulos digitais, por três anos.

Não surpreenderá a ninguém saber que o projeto está extinto. Por fim, se alguém estiver interessado, o domínio Bitcoiin.com está disponível para venda pelo preço de US$ 13.299.

  • Não entendeu algum termo do universo Web3? Confira no nosso Glossário!
  • Quer se manter atualizado em tudo o que é relevante no mundo cripto? O BeInCrypto tem uma comunidade no Telegram em que você pode ler em primeira mão as notícias relevantes e conversar com outros entusiastas em criptomoedas. Confira!
  • Você também pode se juntar a nossas comunidades no Twitter (X)Instagram e Facebook.
Melhores plataformas de criptomoedas | Junho de 2024

Trusted

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.

Julia.png
Júlia V. Kurtz
Editora do BeInCrypto Brasil, a jornalista é especializada em dados e participa ativamente da comunidade de Criptoativos, Web3 e NFTs. Formada pelo Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, possui mais de 10 anos de experiência na cobertura de tecnologia, tendo passado por veículos como Globo, Gazeta do Povo e UOL.
READ FULL BIO
Patrocinados
Patrocinados